Detalhe do produto

Trabalho escravo contemporâneo: tempo presente e usos do passado

Livro Impresso ISBN: 9788522520930 Edição: 1 Ano: 2018 Largura: 16.00 cm Comprimento: 23.00 cm Peso: 360 gramas Número de Páginas: 198

Outro Formato

Ebook

SAIBA MAIS

Trabalho escravo contemporâneo: tempo presente e usos do passado

Autor(es): Angela Maria De Castro Gomes, Regina Beatriz Guimarães Neto
Obras dos autores

"Morrer ou viver é a mesma coisa"; "este aí é o morre andando"; "vou morrer sem saber quem [me] matou"; "a mesma água que eles tomavam banho, eles bebiam"; "o futuro aqui é do patrão". Estas foram frases ditas por pessoas que vivenciaram e presenciaram condições de trabalho análogas à de escravo na Amazônia a partir do final do século XX. Fazem parte de eloquentes relatos concedidos às autoras deste livro para se referirem a um sem-número de privações, promessas não cumpridas, superexploração de trabalhadores em fazendas ("verdadeiras cidadelas armadas"), expropriação fraudulenta de pequenos proprietários e ocupações criminosas de terras indígenas, de comunidades ribeirinhas e de seringueiros em vastos territórios do Mato Grosso e do Pará. O livro é uma obra candente sobre uma característica persistente da formação social brasileira: a superexploração da força de trabalho e a consequente desigualdade social que dilacera o país.

Apresentação 

Parte I
Trabalho análogo ao de escravo: “As palavras e as coisas” 

1. A lei e os historiadores ou dando nomes aos fatos 
1.1 O debate historiográfico: a categoria trabalho análogo ao de escravo 
1.2 O Código Penal de 1940 e o trabalho análogo ao de escravo 
1.3 A revisão do artigo 149 e a questão da liberdade do trabalhador submetido à escravização 

2. A política, a lei e a produção de fatos sociais 
2.1 Os trabalhadores escravos nos jornais: textos e contextos para um novo significado da escravidão no Brasil 
2.2 De volta ao debate historiográfico: a força de uma tradição interpretativa 
2.3 Os sertões revisitados: reconhecendo o trabalho análogo ao de escravo  
2.4 O que fazer com o conceito de trabalho análogo ao de escravo? 

3. Repressão e mudanças no trabalho análogo ao de escravo no Brasil 
3.1 Do que estamos falando 
3.2 Enxugando gelo... 
3.3 Água mole em pedra dura... 


Parte II
Cartografias e narrativas dos trabalhadores e trabalhadoras na Amazônia 

4. Precariedade e vulnerabilidade dos trabalhadores na Amazônia: a violência como regra 
4.1 Deslocamentos e relações de poder 
4.2 Repensando a política: os trabalhadores pobres na Amazônia 
4.3 Vidas precárias - violência e resistência 

5. História, trabalho e política de colonização no Brasil contemporâneo: Amazônia 
5.1 Colonização e poder: o discurso da “cidade do trabalho” 
5.2 O “futuro aqui é do patrão” 
5.3 A “estreiteza da terra” 
5.4 A terra inacessível 

6. Trabalho escravo contemporâneo na narrativa de uma líder sindical 
6.1 O testemunho da representante dos trabalhadores rurais - STR Confresa 
6.2 Breve passagem pelo tempo de aprendizagem 
6.3 O Sindicato dos Trabalhadores Rurais - STR-Confresa: a mobilização pelos direitos dos trabalhadores e o trabalho escravo contemporâneo 

Referências Bibliográficas 
Agradecimentos 

Impresso

R$ 49,00

COMPRAR