Detalhe do produto

Marcado pela própria natureza: o Imperial Instituto Fluminense de Agricultura - 1860 a 1891

Livro Impresso ISBN: 9788522515066 Edição: 1 Ano: 2014 Largura: 16.00 cm Comprimento: 23.00 cm Peso: 460 gramas Número de Páginas: 236

Outro Formato

Ebook

SAIBA MAIS

Marcado pela própria natureza: o Imperial Instituto Fluminense de Agricultura - 1860 a 1891

Autor(es): Begonha Bediaga
Obras do autor

O livro da historiadora Begonha Bediaga chega em bom momento. Resultado de pesquisa criteriosa fundamentada em uma variedade de fontes para sua tese de doutoramento, para além de preencher uma lacuna necessária, trata da história do Imperial Instituto Fluminense de Agricultura, o IIFA, e nos fornece elementos para pensar a instituição, os atores e suas interlocuções. A obra se aproxima daquilo que o historiador das ciências, o inglês Simon Schaffer, apontou como relevante para quem quer estudar as instituições científicas: a atenção para o fato de que a compreensão da ciência e das práticas científicas pressupõe a construção de mapas das instituições assim como compreendê-las em suas trajetórias.

Agradecimentos
Apresentação
Introdução

Capítulo 1: Contexto de criação do Imperial Instituto Fluminense de Agricultura Imperiais institutos agrícolas
Instituições privadas, mas atreladas ao Estado: um panorama do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro, da Sociedade Auxiliadora da Indústria Nacional e do Imperial Instituto Fluminense de Agricultura

Capítulo 2: Trajetória do Imperial Instituto Fluminense de Agricultura: semear “civilização” no campo Consolidação e auge (1860-1870)
Frederico Burlamaqui e Guilherme Schüch Capanema: notas biográficas Primeiros anos do Imperial Instituto Fluminense de Agricultura
Sob dissimulada orientação do monarca: Luís Pedreira do Couto Ferraz, visconde do Bom Retiro Criação do Asilo Agrícola: instrução e proteção aos desvalidos
Submetido ao poder quase exclusivo de Couto Ferraz (1871-1886)
Disputas pelo Jardim Botânico e projetos para ampliar as atividades do Imperial Instituto Fluminense de Agricultura
Carlos Glasl: exclusividade do Imperial Instituto Fluminense de Agricultura
Nicolau Joaquim Moreira: um representante dos homens das ciências no Imperial Instituto Fluminense de Agricultura
Crise interna (1886-1891)
Congresso Agrícola: a ausência do Imperial Instituto Fluminense de Agricultura

Capítulo 3: Revista Agrícola: plantar ciências agrícolas e sensibilizar o lavrador
Publicações científicas no século XIX
Escopo amplo e irrestrito
Redatores: personagens vinculados às ciências conduzem a Revista Agrícola
Editoriais: acerca das posições da publicação
Revista de Horticultura (1876-1879): aproximações e diferenças

Capítulo 4: Combater a moléstia da cana-de-açúcar: a lavoura orientada pela ciência
Estado da arte das ciências aplicadas à lavoura
O debate e as polêmicas no Imperial Instituto Fluminense de Agricultura
Repercussão do debate na trajetória do IIFA

Conclusão
Fontes e bibliografia
Iconografia
Cronologia

 

Impresso

R$ 52,00

COMPRAR