Bem-vindo, Visitante!

FGV editora

0

Área de imprensa

Informações sobre autores, lançamentos e catálogo:

editora@fgv.br

(21) 3799-4429

Releases / Lançamentos

  • Em busca do desenvolvimento perdido: um projeto novo-desenvolvimentista para o Brasil
    Em busca do desenvolvimento perdido: um projeto novo-desenvolvimentista para o Brasil

    A Editora FGV lança no dia 20 de agosto, em São Paulo, o livro Em busca do desenvolvimento perdido: um projeto novo-desenvolvimentista para o Brasil, do economista Luiz Carlos Bresser-Pereira. Na obra, ele apresenta um diagnóstico dos problemas fundamentais do Brasil a partir de uma teo­ria econômica em construção — o novo desenvolvimentismo, que procura definir os fatos históricos novos que levaram a economia brasileira a uma quase-estagnação, que já dura quase 40 anos.

    No livro, Bresser mostra as duas formas históricas de organizar o capitalismo: o desenvolvimentismo e o liberalis­mo econômico; critica o liberalismo econômico e as elites econômicas, políticas e intelectuais brasileiras, bem como o populismo econômico e cambial, entre vários outros temas ligados à economia.

    Ao mesmo tempo, ele faz propostas concretas sobre uma política macroeconômica, a partir das duas contas básicas (a fiscal e a cambial) e dos cinco preços macroeconômicos (a taxa de juros, a taxa de câmbio, a taxa de salários, a taxa de inflação e a taxa de lucro). Bresser defende ainda a política industrial e a política de exportação de bens e serviços crescentemente sofisticados.

    “É preciso uma teoria que explique as baixas taxas de investimento, as altas taxas de juros e o desaparecimento da indústria, que deixam o país a cada ano mais para trás no seu desenvolvimento perante outras nações do mundo”, afirma Bresser-Pereira.

     

    O lançamento do livro terá um debate entre o autor e os professores convidados André Roncaglia de Carvalho (Unifesp) e Samuel Pessôa (FGV IBRE).

    Dia 20 de agosto, às 19h, na Livraria Cultura do Conjunto Nacional | SP.

     

  • Recursos humanos: transformando pela gestão
    Recursos humanos: transformando pela gestão

    Editora FGV lança livro sobre as transformações do RH

    A Editora FGV lança o livro “Recursos humanos: transformando pela gestão”, organizado por Ana Paula Arbache e Denize Athayde Dutra. 

    A obra aborda a evolução do departamento de Recursos Humanos, que passou de uma área estritamente de departamento pessoal para um setor de relações trabalhistas e estratégico para as empresas.

    No livro, as autoras mostram que o RH é uma função estratégica e abrangente tanto para pequenas, quanto para grandes companhias, com a missão de direcionar as pessoas para o seu melhor aproveitamento e a sua evolução profissional.

  • Mulheres e poder: histórias, ideias e indicadores
    Mulheres e poder: histórias, ideias e indicadores

    Na próxima segunda, 19 de março, no mês da mulher, a Editora FGV lança o livro Mulheres e poder: histórias, ideias e indicadores, com um bate-papo com as autoras Hildete Pereira de Melo e Débora Thomé, mediado pela jornalista Cássia Almeida, de O Globo.

    O livro, destinado a todas as pessoas que querem entender melhor a situação da mulher no país e no mundo, reúne dados, tabelas e gráficos que levam ao estado da arte das discussões sobre as mulheres e sua relação atual com o poder. As autoras recolheram informações de fontes variadas e olhares diversos, que passam não apenas por autoras feministas - mas também por elas. A proposta é estabelecer um diálogo, com linguagem acessível, que permita leitores e leitoras iniciarem-se no tema que anda ocupando o dia a dia da sociedade como um todo, as redes sociais e as páginas de jornais.

    Ao longo dos capítulos, as autoras apresentam dados sobre economia e diferenças salariais, o avanço das mulheres na educação, as mudanças na maternidade e nas famílias. Tratam da falta de mulheres na política no Brasil e contam a história de grandes nomes no país e no mundo. Além disso, explicam diferentes visões do feminismo, situando este debate, e apresentam as políticas que lançaram um olhar para as mulheres desde o início do século XX.

    A educação e o trabalho também são abordados em capítulos do livro, quando é observado que elas, hoje com mais anos de estudos em média que os homens e com mais titulações anualmente de mestrado e doutorado, continuam com uma enorme dificuldade de converter esse esforço em salários e postos melhores em suas carreiras.

    Na política, apesar de o direito das mulheres votarem e serem votadas ser um fato desde 1932, apenas 10% da representação é feminina, seja nas prefeituras ou no Legislativo nacional. O Brasil é o pior entre os seus vizinhos latino-americanos neste quesito e as mulheres brasileiras continuam ainda ocupando poucos espaços de poder.

    A violência de gênero é outro tema de enfoque da obra, uma vez que o Brasil é um dos que mais tem registro de feminicídios, sendo o quinto pior país do mundo nesse tipo de crime contra a mulher.

    Entender melhor o contexto e as estruturas em que se dão as relações entre mulheres e poder no país é também um primeiro passo para agendas de transformação, tão necessárias na conjuntura atual.

     

    Mulheres e poder: histórias, ideias e indicadores

    Autoras: Hildete Pereira de Melo e Débora Thomé

    Editora FGV

    192 páginas

    Preço: R$ 36

     

    Lançamento | Data: 19/03 | Hora: 19h

    Local: Blooks Livraria (Praia de Botafogo, 316 – Espaço Itaú de Cinema) – Botafogo – Rio de Janeiro

     

  • A internet das coisas
    A internet das coisas

    Editora FGV lança livro “Internet das Coisas” e seus potenciais efeitos sobre a sociedade

    Qual o futuro da internet e quais os potenciais efeitos da Internet das Coisas sobre a sociedade? Essas e outras questões são tratadas no mais novo livro publicado pela Editora FGV em parceria com a FGV Direito Rio, “A internet das coisas”, escrito pelo professor Eduardo Magrani, e que será lançado no próximo dia 19 de junho, às 19h, na Livraria da Travessa, no Shopping Leblon, Rio de Janeiro.

    Com 95% do mundo coberto por redes de celular e 84% com acesso à banda larga, somado ao rápido crescimento das redes 4G e 5G, o mundo segue o caminho sem volta de estar cada vez mais conectado, e, assim como as pessoas, tudo a nossa volta também passa a estar “logado”. 

    A Internet das Coisas é basicamente o termo para o aumento da comunicação das máquinas pela internet, o desenvolvimento de utensílios e microdispositivos que por sensores e outras tecnologias captam dados a partir de seu ambiente, tornando-se parte integrante da internet em prol das facilidades da vida moderna.

    “Cada vez mais as informações que circulam pela Internet não serão mais colocadas na rede tão somente por pessoas, mas por coisas e algoritmos dotados de inteligência artificial que trocam dados e informações entre si, formando um espaço de conexões de rede e informações cada vez mais automatizado”, afirma Eduardo Magrani, que irá realizar um bate-papo durante o lançamento juntamente com Eduardo Peixoto, do Instituto CESAR em Recife e a Caitlin Sampaio, da PUC Rio.

    Estimativas apontam que a combinação entre objetos inteligentes e big data poderá alterar significativamente a maneira como vivemos. Em 2020, a quantidade de objetos interconectados passará dos 25 bilhões, podendo chegar a 50 bilhões de dispositivos inteligentes. O impacto na economia é tão impressionante quanto esses números. A estimativa de impacto econômico global corresponde a mais de US$ 11 trilhões em 2025.

    Contudo, há ainda um longo caminho pela frente: metade da po­pulação mundial permanece sem acesso à internet banda larga; é a mesma parcela de pessoas sem conexão no Brasil. Apesar do cenário, o horizonte é promissor para o avanço das tecnologias digitais no país, que tem um dos mercados mais relevantes no segmento tecnológico. O governo federal iniciou recentemente uma discussão acerca da Internet das Coisas – geralmente referida sob o acrônimo IoT (Inter­net of Things) – e, como resultado dessa discussão, um Plano Nacional para a IoT vem sendo debatido.

    “Internet das Coisas” é uma rede de reflexões sobre novas tendências e direcionamentos das tecnologias da informação e para onde vamos com essa nova onda tecnológica.

    Lançamento - A Internet das Coisas

    Data: 19/06 - Hora: 19h

    Local: Livraria da Travessa – Shopping Leblon - Avenida Afrânio de Melo Franco, 290 - loja 205A

  • Arquivos em movimento: Seminário Internacional de Documentário de Arquivo
    Arquivos em movimento: Seminário Internacional de Documentário de Arquivo

    Editora FGV lança obra que aborda produção audiovisual de caráter documental

    A prática de reciclagem de imagens cinematográficas começou a ser exercida sistematicamente durante a Primeira Guerra Mundial (1914-18), em cinejornais que visavam reconstituir visualmente as linhas de batalha. Com o prolongamento do conflito, os cinegrafistas que trabalhavam na seção cinematográfica dos exércitos começaram a utilizar a justaposição de planos filmados em diferentes circunstâncias com o objetivo de organizar uma narrativa coerente e ilustrar os movimentos da guerra. Planos tomados em diferentes batalhas eram montados como se fizessem parte de uma mesma situação.

    Nas últimas quatro décadas, o debate sobre o tema da reciclagem das imagens tem ganhado novos contornos. Diante da profusão de produções audiovisuais que reutilizam e ressignificam imagens produzidas em circunstâncias distintas (gravações de câmera de segurança, filmes amadores e familiares, industriais e publicitários, antigos programas de TV, cinejornais etc.), alguns autores afirmam a necessidade de se recuperar o contexto de produção dessas imagens migrantes. Para esses pesquisadores, trata-se, sobretudo, de historicizar o registro e o olhar do tempo da tomada e da retomada das imagens.

    Diante desses novos debates, o Núcleo de Audiovisual e Documentário do CPDOC organizou o Seminário Internacional de Documentário de Arquivo, que promoveu a reflexão em torno dos distintos modos de incorporação de imagens preexistentes no campo da produção audiovisual de caráter documental.

    O resultado das análises que compuseram o seminário e que abrange um território de produção genericamente denominado “filme de arquivo”, estão reunidos no livro Arquivos em movimento, publicação digital da Editora FGV, editada nas versões em português e inglês.

    Os trabalhos apresentados neste ebook compõem um panorama plural e heterogêneo no âmbito dos objetos escolhidos e das metodologias empregadas nas pesquisas. No entanto, as questões levantadas pelos diversos autores partem de um pano de fundo comum: a imagem e sua duração no tempo e no espaço.

    Não é por acaso que o seminário tenha se realizado dentro do CPDOC da FGV, instituição detentora do mais importante acervo de arquivos pessoais de homens públicos do país.

  • Em busca do Brasil: Edgard Roquette-Pinto e o retrato antropológico brasileiro (1905-1935)
    Em busca do Brasil: Edgard Roquette-Pinto e o retrato antropológico brasileiro (1905-1935)

    A Editora FGV e a Fiocruz se uniram para editar os feitos do antropólogo Edgard Roquette-Pinto, uma das principais figuras a colocarem em debate a questão racial no Brasil no século XX. No livro Em busca do Brasil: Edgard Roquette-Pinto e o retrato antropológico brasileiro (1905-1935), Vanderlei Sebastião de Souza apresenta o trabalho de Roquette-Pinto, que sempre atuou na exploração da questão social, do pensamento racial e na condensação das Ciências Sociais no Brasil.

    O antropólogo foi figura chave na evolução do pensamento racial e na defesa da imigração. Ele foi interlocutor nos grandes debates sobre sociedade e nação no Brasil de sua época, produzindo um estreito diálogo com autores como Euclides da Cunha, Manoel Bomfim, Oliveira Vianna e Gilberto Freyre.

    Dentre as muitas “linhas” que compuseram a complexa personalidade de Roquette-Pinto, estão a de antropólogo, educador, divulgador da ciência, introdutor da radiodifusão no país e precursor do cinema educativo, entre outras. Vanderlei se debruça sobre a trajetória da reflexão antropológica de Roquette-Pinto.

    Inquestionavelmente, este livro apresenta uma das principais e mais sofisticadas reflexões oriundas de um ciclo que, iniciado na década de 1990 e do qual participaram diversos pesquisadores, vem buscando compreender o locus da obra de Roquette-Pinto no complexo cenário do pensamento social brasileiro entre o final do século XIX e o início do XX.

    “Em busca do Brasil” une rigor na pesquisa, originalidade e ousadia da análise, possibilita um olhar mais complexo sobre o Brasil, o pensamento social, a ciência e a política. Este livro é uma obra de pesquisa minuciosa que desvenda um projeto essencial para nosso entendimento da história intelectual, das políticas públicas e da ciência no Brasil.